Sistema de comércio alternativo hong kong

Sistema de comércio alternativo hong kong

Taxa de Forexpk gbp
Taxas de câmbio uk 2017
Revisão forex fbs


Sou forex ki guftagu Sistema de comércio de alianças Comerciante forex yang berhasil Tutorial de forex de Fibonacci Tutorial de consultor especialista em Forex Taxas de câmbio Forex usd para php Calculadora de lote micro Forex Treinamento online Forex grátis

A SFC propõe fortalecer a regulamentação de pools alternativos de liquidez. A Comissão de Valores Mobiliários e Futuros (SFC) iniciou hoje uma consulta de dois meses sobre a futura regulamentação de pools alternativos de liquidez (ALPs), que também são conhecidos como sistemas alternativos de negociação e "dark pools" (piscinas escuras). (Nota 1). O SFC propõe melhorar e padronizar as obrigações regulatórias impostas às empresas licenciadas de Hong Kong que operam os PLAs, incluindo no Código de Conduta (Nota 2) requisitos abrangentes que regem sua operação. Como consequência disso, a SFC cessará sua prática atual de impor condições às licenças de operadores ALP, caso a caso. As propostas da SFC baseiam-se em iniciativas para a regulamentação de ALPs que foram desenvolvidas em outros mercados importantes e também refletem respostas regulatórias que a SFC considera desejável dentro do contexto particular do mercado de Hong Kong. As propostas apresentadas no documento de consulta da SFC abrangem as seguintes áreas principais: Restringir o acesso a ALPs apenas a investidores institucionais. Melhorando o nível de divulgação para usuários do ALP. Garantir a prioridade dos pedidos de agência sobre pedidos proprietários iniciados pelos operadores de ALP e suas afiliadas. Limitar o nível de visibilidade das informações de negociação disponíveis para a equipe de operadores de ALP. Manter a adequação do sistema. Introduzindo controle adicional, manutenção de registros e requisitos de relatórios. "O crescimento no número de ALPs catalisou o reconhecimento global de que esses sistemas devem ser operados adequadamente para proteger os interesses dos clientes e preservar a integridade do mercado. Essas mesmas considerações se aplicam em Hong Kong e em outros mercados", disse Ashley Alder. SFC's Chief Executive Officer. "As propostas visam encontrar um equilíbrio entre desenvolvimento de mercado, integridade de mercado e proteção ao investidor, levando em conta as necessidades e circunstâncias do mercado de Hong Kong", acrescentou. O público é convidado a enviar comentários para a SFC até 25 de abril de 2014. Os comentários escritos podem ser enviados on-line pelo site da SFC (sfc.hk), por e-mail para alpconsultation@sfc.hk, por correio ou por fax para (852) 2501 0375. Os ALPs são sistemas eletrônicos operados por pessoas licenciadas ou registradas através das quais o cruzamento ou correspondência de ordens envolvendo valores mobiliários listados ou negociados em bolsa é conduzida sem transparência pré-negociação. O Código de Conduta para Pessoas Licenciado ou Registrado na Comissão de Valores Mobiliários e Futuros. Locais Alternativos de Negociação na Ásia: Um Primer. Locais de negociação alternativos na Ásia. MTF é um termo usado na Europa gerado pela MIFID. PTS ou Sistema de Negociação Proprietária é o termo cunhado no Japão. Kabu e SBI Japannext lideram o segmento darkpool no Japão. Já existe há alguns anos que eles tiveram algum sucesso em seu mercado local, apesar da falta de roteadores de pedidos inteligentes para buscar liquidez. A revisão recente da tecnologia da Bolsa de Valores de Tóquio (TSE), em parte, será um desafio direto a esses locais. Acho que o mais interessante e melhor colocado para aproveitar uma Ásia aberta e competitiva é o Instinet. Eles operam a CBX Asia, JapanCrossing e KoreaCross, além de oferecer execução a Cingapura, Hong Kong e Austrália. A KoreaCross, com a Samsung Securities, coloca a Instinet em uma posição única, oferecendo mais locais de execução sob o mesmo teto do que qualquer outro corretor na zona. Além disso, a Nomura, empresa controladora da Instinet, lançou recentemente o NX MTF na Europa. Eles estão juntando sua rede global de cruzamentos; ideal para a mesa de operações do programa ter certeza. Nativo da Ásia é o BLOCSEC da CLSA. Lançados em 2008, eles oferecem execução para Cingapura, Japão e Hong Kong através de um front-end baseado na web, onde o BLOCSEC é a contraparte de todas as negociações. Claro, SIGMA X, CitiMatch, UBS PIN e Liquidnet também têm pegada aqui na Ásia. Infelizmente, nenhum desses locais fornece informações sobre volume ou participação de mercado, ao contrário dos EUA e da Europa, mas como a Ásia continua a oferecer sofisticação cada vez maior em seus serviços de execução, que devem vir adiante no tempo. Os novos participantes no espaço darkpool da Ásia incluem o Chi-East e o AX ECN. Chi-East como um casamento interessante de Chi-X e da Bolsa de Cingapura. De certa forma, Cingapura lançou o desafio a seus rivais regionais ao permitir a concorrência, ainda que em seu pequeno mercado de ações. É provável que cause a fragmentação em um mercado já e caro para o comércio (80bps de acordo com um recente relatório de pesquisa do ITG), mas cruzar o fluxo no andar de cima no ponto intermediário certamente fará o buyside feliz. Outro novo incumbente no ECN Space é o AX ECN, que deve entrar em vigor até o final do ano e é de propriedade conjunta da New Zealnd Exchange (NZX), Citigroup, CommSec, Goldman Sachs JBWere, Macquarie Bank e Merrill Lynch.

Sistema de comércio alternativo hong kong Por que Singapura e Hong Kong Escape Protection? Cingapura e Hong Kong foram as economias mais abertas do mundo nos últimos cinquenta anos. Enquanto o primeiro passou por um breve período de substituição de importações durante a década de 1960, este último foi totalmente livre de barreiras comerciais ao longo deste período. Como explicamos esse sucesso das duas economias durante um período em que todos os outros países em desenvolvimento se viram recorrendo à proteção? A resposta mais comum a esta pergunta é que o mercado interno em Cingapura e Hong Kong era muito pequeno. A dependência das exportações foi uma resposta natural a este pequeno tamanho do mercado interno. Embora pareça plausível, a falecida economista Bela Balassa argumentou corretamente que não consegue se manter mais atenta. Balassa lembrou que, com uma população de 2 milhões em 1950 e uma renda per capita relativamente alta derivada de atividades comerciais, Hong Kong, a China tinha um mercado doméstico maior para produtos manufaturados do que a maioria dos países em desenvolvimento. No entanto, muitos destes últimos países embarcaram na industrialização por trás de altas barreiras de proteção. Por exemplo, a Tunísia tinha um mercado doméstico menor do que o de Hong Kong, China, mas passou a estabelecer pequenas fábricas locais para atender o mercado interno atrás de uma muralha protetora que permaneceu por décadas. Uma explicação alternativa da vitória das políticas de livre comércio em Hong Kong e Cingapura foi oferecida em termos de sua geografia. Ambas são economias insulares que se beneficiariam de grandes volumes de comércio que as políticas de livre comércio podem gerar. Por exemplo, Cingapura era um porto natural para servir como uma estação intermediária de armazenamento e processamento final de bens destinados e originários dos países vizinhos no sudeste da Ásia. Embora esse aspecto da geografia possa ter desempenhado algum papel, por si só, é insuficiente para explicar por que os interesses pró-exportação conquistaram os interesses concorrentes das importações nessas economias, mas não em outros lugares. Sri Lanka, Maurícias e Madagáscar eram todas economias insulares, mas foram vítimas de políticas proteccionistas para alcançar a industrialização. O fracasso dos interesses protecionistas em afirmar-se em Hong Kong, China e Cingapura durante o último meio século deve ser explicado em termos de dois outros fatores que se reforçam mutuamente. O primeiro desses fatores está relacionado à história. Em 1950, tanto em Cingapura quanto em Hong Kong, a China acumulou uma longa história de livre comércio. Cingapura havia se tornado uma colônia britânica sob o Acordo Straits, em 1867. Os britânicos deram a ela o status de livre comércio. Da mesma forma, após colonizá-lo, os britânicos adotaram políticas de livre comércio em Hong Kong já em 1840. O status de livre comércio dessas economias resultou em uma grande expansão do comércio de reexportação. Durante 1960-67, a participação das reexportações no total das exportações em Cingapura atingiu 85,6%. Essa grande parcela das reexportações tornou caras as barreiras comerciais e, assim, fortaleceu as mãos dos interesses pró-exportação. A segunda razão pela qual as políticas de livre comércio poderiam ser sustentadas nessas duas economias durante o último meio século é a ausência de atividade agrícola significativa lá. Por exemplo, em 1970, apenas 3,78% da força de trabalho de Cingapura estava engajada na agricultura, pesca e exploração de pedreiras. Cerca de 23,44% da força de trabalho estava engajada no comércio e 21,98% na indústria. Os 50,8% restantes da população estavam envolvidos em serviços de construção, serviços públicos, transporte, comunicações, finanças, negócios e outros. Assim, a pressão para a transformação de uma economia agrária, principalmente rural, para uma economia industrial ou de serviços que outros países em desenvolvimento enfrentaram durante o início do último meio século, estava essencialmente ausente em Cingapura e Hong Kong. Com a indústria e as exportações já tendo uma presença significativa, a pressão para alcançar a industrialização por trás de uma alta parede de proteção foi contida. No caso de Cingapura, um crédito considerável pelo sucesso das políticas de comércio livre também vai para seus líderes visionários. O ethos de substituição de importações entre os formuladores de políticas durante o início do último meio século era poderoso demais para que qualquer governo de países em desenvolvimento escapasse. Consequentemente, o governo de Cingapura também introduziu cotas de importação em um pequeno número de produtos selecionados durante 1965-69. Mas o governo de Cingapura teve o cuidado de informar com credibilidade ao setor que tal proteção era temporária. A necessidade de cotas para cada produto foi revisada a cada seis meses. Se a indústria em particular foi encontrada não fazendo nenhum esforço sério para ter sucesso em seus empreendimentos, a proteção de cotas de importação foi retirada. As cotas também foram removidas quando as indústrias puderam funcionar sem mais proteção do governo. Como resultado, no início dos anos 70, Cingapura retornou à política de quase livre comércio que prevalece até hoje. Poucos países em desenvolvimento conseguiram retroceder a proteção com a eficiência desse livro didático. A experiência da Índia nas políticas comerciais contrasta fortemente com a de Cingapura e Hong Kong, China. Um fator-chave por trás do aumento da proteção na fase inicial do desenvolvimento foi, sem dúvida, a estrutura inicial da economia. Em 1950, a Índia começou com uma proporção muito alta de sua força de trabalho na agricultura. Este fato, combinado com o ethos predominante de substituição de importações, assegurou a escolha da proteção como um instrumento-chave da industrialização. Mas, posteriormente, as políticas do grupo de interesse se tornaram dominantes. Como Jairam Ramesh enfatizou em seus escritos recentes, um dos principais problemas que a Índia continua a enfrentar, mesmo depois de cinquenta anos de desenvolvimento, é a contínua participação elevada da força de trabalho na agricultura. Apesar da redução acentuada em sua participação no PIB de 50 para 25%, a agricultura responde por dois terços da força de trabalho da Índia. Em parte, isso se deve ao fracasso da indústria intensiva em mão-de-obra em expandir-se. Por sua vez, isso exige uma expansão contínua das exportações e, portanto, uma proteção reduzida em casa e mercados mais abertos no exterior. Neste contexto, a próxima conferência ministerial da OMC no Catar oferece uma grande oportunidade para o lançamento de uma nova rodada de negociações comerciais que poderia ajudar a reduzir o nível de proteção em todo o mundo. Integral forex oyun. Opções binárias de bitcoin de comércio. Sistema de comércio alternativo Hong Kong. Um hong de negociação alternativo deve cumprir os requisitos do parágrafo b desta secção, a menos que tal sistema de negociação alternativo:. A títulos do Governo, conforme definido na seção 3 a 42 da Lei, 15 U. B Recompra e acordos de recompra exclusivamente envolvendo títulos incluídos no parágrafo a 4 ii A desta seção. Qualquer put, call, straddle, option ou privilege em uma segurança do governo, que não seja put, call, straddle, option ou privilege que: A Comissão concederá tal isenção somente depois de determinar que tal ordem é compatível com o interesse público, a proteção de investidores, e a remoção de impedimentos e aperfeiçoamento dos mecanismos de um sistema nacional de mercado. Todo sistema de comércio alternativo sujeito a este Regulamento, em conformidade com o parágrafo a desta seção, deverá atender aos requisitos do parágrafo b. O sistema de comércio alternativo deverá registrar-se como corretor-negociante sob a seção 15 da Lei, 15 U. Duplicatas dos relatórios exigidos pelo parágrafo b 9 desta seção deverão ser fornecidas ao pessoal de vigilância de tal autoridade auto-reguladora mediante solicitação. Todos os relatórios arquivados de acordo com este parágrafo b 2 e parágrafo b 9 da seção alternativa serão considerados confidenciais quando arquivados. A Exibe ordens de assinantes para qualquer pessoa que não sejam funcionários do sistema de negociação alternativos; e. B Durante pelo menos 4 dos 6 meses anteriores, teve um volume médio diário de negociação de 5% ou mais do volume médio diário de ações agregadas para tais ações da NMS, conforme relatado por um plano de relatório de transação eficaz. Equivalente à capacidade de tal corretor negociante efetuar uma transação com outras ordens exibidas na bolsa ou pela associação; e. B Ao preço da ordem de compra com preço mais alto ou à negociação de venda com preço mais baixo exibida para o menor do tamanho acumulado de tais ordens com preço nele introduzidas a tal preço, o tamanho da execução desejada por tal corretor. O sistema de comércio alternativo não cobrará nenhuma taxa aos corretores que negociam o sistema de comércio alternativo através de uma bolsa de valores nacional ou associação nacional de valores mobiliários que seja inconsistente com acesso equivalente ao sistema de comércio alternativo exigido pelo parágrafo b 3 iii desta seção. Além disso, se a bolsa nacional de valores mobiliários ou a associação nacional de valores mobiliários à qual um sistema de negociação alternativo fornece os preços e tamanhos dos pedidos sob os parágrafos b3ii e b3iii desta seção estabelece regras projetadas para assegurar a consistência com padrões de acesso a cotações exibidas em tais bolsas de valores nacionais, ou no mercado operado por tal associação nacional de valores mobiliários, o sistema de comércio alternativo não cobrará nenhuma taxa aos membros que seja contrária a, que não seja divulgada na forma exigida, ou que seja inconsistente com qualquer padrão de acesso equivalente estabelecido por tais regras. A Com relação a qualquer estoque da NMS, 5% ou mais do volume médio de hong nessa segurança relatado por um plano de relatório de transação eficaz. B Com relação a uma garantia patrimonial que não seja uma ação da NMS e para a qual as transações são informadas a uma organização autorregulatória, 5% ou mais do volume médio diário de negociação nessa garantia, conforme calculado pela organização autorreguladora à qual tais transações são relatado. C Com relação aos títulos municipais, 5% ou mais do volume médio diário negociado nos Estados Unidos; ou. D Com relação aos títulos da dívida corporativa, 5% ou mais da alternativa de volume médio diário nos Estados Unidos. A Estabelecer padrões escritos para a concessão de acesso à negociação em seu sistema. Não proibir ou limitar irracionalmente qualquer pessoa com relação ao acesso a serviços oferecidos por tal sistema de comércio alternativo, aplicando os padrões estabelecidos sob o parágrafo b 5 ii A desta seção de maneira injusta ou discriminatória. A Corresponde aos pedidos do cliente para um título com outros pedidos do cliente. B Tais pedidos de clientes não são exibidos para qualquer pessoa, sistema que funcionários do sistema de negociação alternativo; e. C Essas ordens são executadas a um preço para tal título disseminado por um planejador de relatórios de transação efetivo derivado de tais preços. A Com relação aos títulos municipais, 20% ou mais do volume médio diário negociado nos Estados Unidos; ou. B Com relação aos títulos de dívida corporativa, 20% ou mais do volume médio diário negociado nos Estados Unidos. A Estabelecer estimativas de capacidade atuais e futuras razoáveis. B Realizar testes de estresse de capacidade de negociação de sistemas críticos para determinar a capacidade desse sistema de processar transações de maneira precisa, oportuna e eficiente. C Desenvolver e implementar procedimentos razoáveis ​​para revisar e manter atualizada sua metodologia de desenvolvimento e teste de sistemas. D Revise a vulnerabilidade de seus sistemas e operações de computadores do data center para ameaças internas e externas, riscos físicos e desastres naturais. Estabelecer planos adequados de contingência e recuperação de desastres. F Anualmente, realizar uma revisão independente, de acordo com os procedimentos e padrões de auditoria estabelecidos, dos controles do sistema de negociação alternativo para garantir que os parágrafos do sistema 6 ii a E desta seção sejam atendidos e conduzir uma revisão por parte dos gerentes seniores. gestão de um relatório contendo as recomendações e conclusões da revisão independente; e. G Informe imediatamente o pessoal da Comissão sobre falhas nos sistemas de materiais e alterações significativas dos sistemas. O sistema de comércio alternativo deve permitir o exame e a inspeção de suas instalações, sistemas e registros, e cooperar com o exame, inspeção ou investigação de assinantes, seja esse exame conduzido pela Comissão ou por uma organização auto-reguladora. tal assinante é um membro. O sistema de negociação alternativo deve: Tais salvaguardas e procedimentos devem incluir: A Limitar o acesso às informações de negociação confidenciais dos assinantes dos funcionários do sistema de comércio alternativo que estejam operando o sistema ou responsáveis ​​pelo cumprimento de suas regras ou de quaisquer outras regras aplicáveis. B Normas de execução que controlam os empregados do sistema de negociação alternativo que comercializam para as suas próprias contas; e. Esta é uma lista de seções do Código dos Estados Unidos, Estatutos Sociais, Leis Públicas e Documentos Presidenciais, que fornecem autoridade de regulamentação para essa parte do CFR. Essa lista é obtida da Tabela Paralela de Autoridades e Regras fornecida pelo GPO [Government Printing Office]. É negociação garantida para ser preciso ou up-to-date, embora nós atualizamos o banco de dados semanalmente. Mais limitações na negociação de precisão descritas no site do GPO. Seguem-se as regras ALL, as regras propostas e o sistema cronologicamente publicado no Federal Register referente à 17 CFR Part após esta data. A Comissão está notificando a respeito da regra temporária T sob a Lei de Câmbio de Valores Mobiliários da Comissão Alternativa designada especificamente, a nova Regra a 1 do Regulamento SBSR requer uma plataforma i. A nova Regra a 2 i do Regulamento SBSR exige que uma agência de compensação registrada relate qualquer swap baseado em segurança ao qual seja uma contraparte. A Comissão também está a adoptar alterações à regra a para alargar os requisitos de divulgação regulamentar e divulgação pública do Regulamento SBSR a tipos adicionais de swaps de segurança transfronteiriça. A Comissão está oferecendo orientação sobre a aplicação do Regulamento SBSR para operações de corretagem privilegiadas e para a alocação de swaps baseados em segurança compensados. Por último, a Comissão está a adotar um novo calendário de conformidade para as parcelas do Regulamento SBSR para as quais a Comissão não especificou previamente as datas de cumprimento. Especificamente, com relação a ordens institucionais, a Comissão está propondo a alteração da Regra do Regulamento NMS para exigir que um corretor, mediante solicitação de seu cliente, forneça divulgações específicas relacionadas ao encaminhamento e execução das ordens institucionais do cliente para os seis meses anteriores. meses. A Comissão também está propondo a alteração alternativa da Regra de Regulamentação NMS para exigir que um corretor negocie informações publicamente disponíveis sobre o manuseio de pedidos institucionais de clientes para cada trimestre. Com relação aos pedidos de varejo, a Comissão está propondo fazer aprimoramentos direcionados às atuais divulgações de roteamento de ordens sob a Regra ao exigir que as informações de ordem limitadas sejam divididas em categorias negociáveis ​​e não negociáveis, exigindo a divulgação do valor agregado líquido de qualquer pagamento por fluxo de pedidos recebido, pagamento de qualquer relacionamento de participação nos lucros recebido, taxas de transação pagas e descontos de transação recebidos pelo corretor de sistema de determinados locais, exigindo que os corretores descrevam quaisquer condições de pagamento para acordos de fluxo de pedidos e relações de participação nos lucros com determinados locais que podem influenciar suas decisões de roteamento de ordens e eliminar o requisito de dividir informações de roteamento de ordens de varejo pelo mercado de listagem. Em conexão com estes requisitos do sistema, a Comissão propõe a alteração da Regra do Regulamento NMS para incluir um número de termos recentemente definidos que são utilizados kong as alterações propostas ao Regulamento A Comissão também propõe alterar as Regras e o Regulamento NMS para exigir que o a execução da ordem pública e os relatórios de roteamento de ordens devem ser mantidos à disposição do público por um período de três anos e fazer mudanças conforme a regra. Finalmente, a Comissão está propondo a alteração da Regra 3a a nos termos do Exchange Act; Regra 13h-1 a 5 do Regulamento 13D-G; Regra b 1 do Regulamento M; Regras a e g do Regulamento SHO; Regras ba 5a 1e c do Regulamento NMS; e Regra de Regulação SCI, para atualizar as referências cruzadas como resultado desta regra proposta. Em segundo lugar, a Comissão está propondo fazer registros no Formulário ATS-N publicando certos formulários do ATS-N no site da Comissão na Internet e exigindo que cada NMS Stock ATS que tenha um site para postar no site da NMS Stock ATS na Web um hiperlink de URL direto para o site alternativo que contém os documentos necessários. Em quinto lugar, a Comissão propõe exigir que sejam escritas as salvaguardas e os procedimentos do ATS para proteger as informações comerciais confidenciais dos assinantes. A Comissão propõe-se igualmente a introduzir alterações conformes ao Regulamento ATS e Exchange Act Rule 3a a. Por fim, a Comissão também está solicitando comentários a respeito de sua consideração para alterar as Regras do Exchange Act e melhorar a transparência em torno do tratamento e encaminhamento de pedidos de clientes institucionais por corretores. A Comissão propõe alterações ao Exchange Act, alternativas 3a e 3a, que abordariam a aplicação do comércio de minimis a operações de swap baseadas na segurança associadas a um sistema não pertencente a U. A Comissão está também a propor novamente a regra 3a c da Lei do Exchange e a propor certas alterações à regra 3a a do Exchange Act para abordar a aplicabilidade dos requisitos de conduta empresarial externos à U. A Comissão também propõe alterações ao Regulamento SBSR para aplicar o relatório regulamentar e requisitos de divulgação pública para transações que são organizadas, negociadas ou executadas por pessoal de não-U. Os SDRs registrados são necessários para estabelecer e manter certas políticas e procedimentos relacionados a como os dados de transações são relatados e divulgados, e participantes de SDRs registrados que são revendedores de swaps com base em segurança registrada ou registraram a alternativa necessária para estabelecer e manter kong e swap procedimentos que são razoavelmente projetados para garantir que eles cumpram as obrigações de relatório aplicáveis. O Regulamento SBSR contém disposições que abordam a aplicação dos requisitos de divulgação regulamentar e divulgação pública a atividades de swap com base na segurança transfronteiriça, bem como disposições para permitir que os participantes no mercado cumpram estes requisitos através da conformidade substituída. Finalmente, o Regulamento SBSR exigirá um SDR registado para se registar na Comissão como um processador de informações sobre valores mobiliários. Especificamente, a regra a 1 proposta do Regulamento SBSR exigiria uma plataforma i. A regra proposta a2i do Regulamento SBSR exigiria que uma agência de compensação registrada informasse a um SDR registrado qualquer swap baseado em segurança ao qual seja uma contraparte. A Comissão propõe também certas alterações de conformidade com outras disposições do Regulamento SBSR, à luz das alterações propostas à regra ae de uma nova regra que proíba taxas de SDRs kong registradas ou impondo restrições de uso aos usuários dos dados de transação de swap baseados em segurança. eles são obrigados a divulgar publicamente. Além disso, a Comissão está a explicar a aplicação do Regulamento SBSR no sentido de dar prioridade às transacções de corretagem e a propor orientações para a comunicação e divulgação pública das atribuições de swaps baseados em segurança apuradas. Por último, a Comissão propõe um novo calendário de conformidade para as partes do Regulamento SBSR para as quais a Comissão não especificou uma data de cumprimento. Estamos adotando alterações na Regra do Regulamento D e na Regra A sob o Securities Act de implementar a Seção a do Jumpstart Our Business Startups Act. A emenda à Regra permite que um emissor se envolva em solicitação geral ou publicidade geral na oferta e venda de valores mobiliários de acordo com a Regra desde que todos os compradores dos valores mobiliários sejam investidores credenciados e o emissor tome medidas razoáveis ​​para verificar se tais compradores são investidores credenciados. A emenda à regra também inclui uma lista não exclusiva de métodos que os emissores podem usar para satisfazer o requisito de verificação para compradores que sejam pessoas físicas. A emenda à Regra A prevê que os valores mobiliários sejam oferecidos de acordo com a Regra A a pessoas que não sejam compradores institucionais qualificados, desde que os valores mobiliários sejam vendidos apenas a pessoas que o vendedor e qualquer pessoa que atue em nome do vendedor . Também estamos revisando o Formulário D para exigir que os emissores indiquem se estão contando com a disposição que permite a solicitação geral ou a publicidade geral em uma oferta de Regras. Também estamos hoje, em um comunicado separado, publicando para comentar um número de emendas propostas ao Regulamento D, Formulário D e Regra nos termos do Securities Act que visam melhorar a capacidade da Comissão de avaliar o desenvolvimento de práticas de mercado em Ofertas de Regra e abordar alguns comentários feitos em conexão com a seção de implementação de um hong da Jumpstart Our Business Startups Act. A reabertura destes períodos de comentários destina-se a permitir que as pessoas interessadas tenham tempo adicional para analisar e comentar as Regras Propostas e a Declaração de Política à luz da proposta da Comissão de substancialmente todas as regras a serem adotadas pelo Título VII do Dodd-Frank. Act, a sua proposta de regras e interpretações abordando a aplicação das disposições de swap do Título VII da Lei Dodd-Frank para transacções transfronteiras de swap SB e não U. Todos os comentários recebidos até o momento sobre o Kong Proposto e a Declaração de Política serão considerados e não precisam ser reenviados. A Comissão alarga o prazo para apresentar comentários à Comissão. As nossas regras e orientações interpretativas propostas são a aplicação do Título B do Título VII da Lei Dodd-Frank relativamente a cada uma das principais categorias de registo abrangidas pelo Título VII relativas a intermediários de mercado, participantes e infra-estruturas para swaps de segurança; certos requisitos relacionados a transações sob o Título VII em relação à elaboração de relatórios e divulgação, compensação e execução de transações para swaps baseados em segurança. A este respeito, estamos a propor novamente o Regulamento SBSR e certas regras e formulários relacionados com o registo de negociadores de swaps baseados na segurança e com os principais participantes de swaps baseados na segurança. A proposta também contém uma regra proposta que prevê uma exceção do requisito de agregação, no contexto da definição do negociante de swap baseado em segurança, para grupos afiliados com um negociante de swap baseado em segurança registrado. Além disso, a proposta aborda o compartilhamento do sistema e a preservação do sigilo com relação aos dados coletados e mantidos pelos SDRs. Além disso, a Comissão kong propôs regras e orientações interpretativas relativas ao sistema de quadro político de procedimentos hong que a Comissão consideraria permitir o cumprimento de requisitos regulamentares comparáveis ​​numa jurisdição estrangeira para substituir o hong do Exchange Act, e as regras e regulamentos nele estabelecidos. , relacionado a swaps baseados em segurança i. Finalmente, a Comissão está expondo nossa visão do escopo de nossa autoridade, com relação aos procedimentos de execução, sob a Seção P da Dodd-Frank Trading. Estamos fazendo uma emenda técnica ao Regulamento D e ajustando as mudanças em certas regras de hong. O Regulamento D foi alterado pela última vez no Release No. Essas alterações entraram em vigor em 27 de fevereiro. Devido a um erro tipográfico nessa liberação, as Notas Preliminares do Regulamento D foram excluídas do Regulamento D. Estamos restaurando o texto excluído como nova Regra texto não está sendo restaurado como Notas Preliminares, a fim de cumprir com os padrões atuais de codificação do Registro Federal. Cornell Law School Pesquisa Cornell. Sobre LII Quem somos O que fazemos Quem paga por isso Fale Conosco Obter a lei Constituição Suprema Corte Código UFC CFR Regras Federais Regras Federais de Procedimento de Apelação Regras Federais de Processo Civil Regras Federais de Processo Penal Regras de Prova Federal Regras de Procedimento Federal de Falência U. Lei por jurisdição Estado lei Uniforme leis Lei federal Direito Mundial Advogado diretório Enciclopédia Jurídica Direito Empresarial Direito Constitucional Direito Penal Direito da Família Direito do Trabalho Dinheiro e Finanças Mais Ajuda Dê Patrocinador Anuncie Criar Promover Aderir Advogado Diretório. Código Rulemaking O que me cita. United States Code U. O Título 17 publicou em Maio a Atividade de Negociação de Pessoa Alternativa que São Organizadas, Negociadas ou Executadas por Pessoal Localizado em uma Filial ou Escritório U. ou em uma Filial U. ou Escritório de um Agente GPO FDSys regulamentos. GPO FDSys XML Text Documents adicionais tipo regulamentos. S, S, S, S, S, S, S, S, S, S. A seção que você está visualizando é citada pelas seguintes seções do CFR. Sistema CFR Toolbox Co-mantido. GPO FDSys XML Text. Documentos adicionais tipo regulamentos. Resumo A Comissão está notificando sobre a Regra temporária T sob o Securities Exchange Act of Para uma discussão das Datas de Conformidade para o Regulamento SBSR, veja a Seção X das Informações Complementares. Para Regras e do Regulamento SBSR, a data de cumprimento é a data efetiva. Para as Regras, alternativas e o Regulamento SBSR, as datas de conformidade estão sendo propostas em uma release separada, 11 de fevereiro. As datas de conformidade aplicáveis ​​são discutidas na Seção IV. F desta versão. Resumo Estamos adotando emendas à Regra do Regulamento D e à Regra A sob o Ato do Sistema de implementar a Seção a do Jumpstart Our Business Startups Act. Para as Regras Propostas e a Declaração de Política, os períodos para comentários são reabertos até o dia 22 de julho. O período de comentários para a regra proposta foi publicado em 25 de março de 78 e ampliado. Os comentários devem ser recebidos até 8 de julho, Resumo Estamos fazendo uma emenda técnica ao Regulamento D e adaptando as alterações a algumas outras regras. SEMINÁRIO DE HONG KONG FOREX 24 DE JULHO DE 2016. 4 thoughts on & ldquo; Sistema de comércio alternativo hong kong & rdquo; Horário de Voluntariado Primeiro Dia: No seu primeiro dia de voluntariado, você será escoltado até a sua colocação por um coordenador local e apresentado à equipe de colocação com a qual você trabalhará. Ambiguidade Estratégica A regra convencional na construção de mensagens é ser clara. Este livro é uma ótima maneira de conversar com as crianças sobre o grande esquema de tudo. Essas regiões corticais do cérebro processam a informação nociceptiva (dor que causa ou reage à dor) do corpo e geram a complexa experiência da dor. Assine o FT para ler: Financial Times Os mercados de Hong Kong precisam se adaptar, diz a SFC. Torne-se um assinante do FT. Mantenha-se a par dos importantes desenvolvimentos corporativos, financeiros e políticos em todo o mundo. Mantenha-se informado e identifique riscos e oportunidades emergentes com relatórios globais independentes, comentários e análises de especialistas nos quais você pode confiar. Escolha a assinatura certa para você. Compre uma assinatura de teste digital para. Não tem certeza de qual pacote escolher? Experimente o acesso total por 4 semanas. $ 1.00 por 4 semanas * Por 4 semanas, receba acesso digital Premium ilimitado às notícias comerciais confiáveis ​​e confiáveis ​​da FT. Compre uma assinatura Digital padrão para. Seja informado com as notícias e opiniões essenciais. MyFT - rastreie os tópicos mais importantes para você FT Weekend - acesso completo ao conteúdo do fim de semana Mobile e Tablet Apps - faça o download para ler no curso Artigo de presente - compartilhe até 10 artigos por mês com familiares, amigos e colegas. Compre uma assinatura Premium Digital para. Todos os itens essenciais, além de insights e análises mais profundas. Todos os benefícios do Standard plus: Lex - a nossa agenda que define a coluna diária Análise aprofundada - sobre comércio, mercados emergentes, M & A, investimento e mais ePaper - uma réplica digital do jornal Artigo de presente - compartilhe até 20 artigos por mês com familiares, amigos e colegas. Compre uma assinatura Premium Digital + Newspaper para. Jornal FT entregue diariamente e acesso digital ilimitado. Todos os benefícios do Premium plus: O FT entregue à sua casa ou escritório de segunda a sábado, incluindo o documento FT Weekend e suplementos. Acesso total ao FT para sua equipe ou empresa. Acesse sua equipe. Descontos por volume Acesso em mais de 60 plataformas de terceiros Pague com base no uso. Outras opções. O Financial Times e seu jornalismo estão sujeitos a um regime de auto-regulação sob o Código de Prática Editorial da FT. A Goldman Sachs lança o Sigma X Liquidity Pool em Hong Kong. A Goldman Sachs Electronic Trading expandiu suas capacidades de cruzamento global com o lançamento do SIGMA X em Hong Kong. O potencial de crescimento do mercado de Hong Kong continua a ser significativo e pensamos que conjuntos alternativos de liquidez irão desempenhar um papel importante no desenvolvimento daqui para frente, & # 8221; Gene Reilly, diretor administrativo e chefe de negociação e execução da Goldman Sachs na Ásia, diz em um comunicado da empresa. Goldman Sachs & # 8217; O SIGMA X é composto por um hots de participantes liquidty, incluindo fundos de hedge, instituições e corretores, bem como fluxo de Goldman Sachs & # 8217; mesas de negociação. O SIGMA X é o maior pool de liquidez não exibido nos EUA por ações negociadas diariamente, de acordo com o comunicado que cita um estudo do TABB Group 2008. Os clientes podem acessar o SIGMA X Hong Kong através do Goldman Sachs & # 8217; REDIPlus Execution Management System através de sistemas de negociação de terceiros ou através de qualquer sistema que suporte o protocolo FIX. SIGMA X Hong Kong é um sistema de negociação alternativo totalmente licenciado e permitirá a negociação de ações listadas na Bolsa de Valores de Hong Kong, as notas de lançamento. "Nossas experiências globais em pools alternativos de liquidez, nossa gama diversificada de clientes e nosso foco contínuo em manter um pool de alta qualidade de liquidez não exibida significa que o SIGMA X entregará valor substancial para os clientes", diz Shuya Kekke, Diretor Gerente e Chefe da GSET da Ásia, no lançamento.
Taxas forex Ib
Pontos de entrada no Forex